resumo_eo_ts_isabel_congresso_sbbiomet_corrigido_27_06_332991498568588.pdf (626.21 kB)
0/0

Parâmetros ambientais e fisiológicos de vacas em lactação com e sem disponibilidade de sombra natural

Download (626.21 kB)
journal contribution
posted on 08.08.2017 by Isabel Cristina Ferreira, Karine Aparecida Rodrigues de Souza, Ana Clara Barbosa de Souza, Lucas Antonio Mazocco, Álvaro Moraes da Fonseca Neto, Carlos Frederico Martins

: O objetivo foi estudar a associação de parâmetros ambientais com a temperatura superficial e escore de ofegação de vacas em lactação com e sem disponibilidade de sombra no período do verão. A temperatura superficial foi medida a uma distância de 1,5 metros do úbere por meio de termômetro de infravermelho, de manhã e à tarde. O escore de ofegação foi mensurado numa escala de zero a quatro, onde zero se refere à respiração normal e 4, ofegação severa de vacas Girolando e Gir. As condições ambientais (temperatura do ar, do globo e do bulbo úmido e umidade) foram registradas por meio de termômetro de globo negro. Foram avaliados os efeitos da sombra, do período do dia, do grupo genético e as interações. A temperatura superficial foi maior no pleno sol durante o período da tarde (35,36°C). O ITGU foi maior no pleno sol no mesmo período (88,69). As correlações significativas entre parâmetros fisiológicos e ambientais foram menores que 0,74. O modelo da regressão da temperatura superficial e ITGU foi TS = -120,25133 +3,36056 ITGU -0,01795 ITGU2 R2= 0,48. Em geral, vacas Girolando apresentaram maior escore de ofegação do que Gir, mas esse comportamento foi dependente das condições ambientais. No período da tarde o escore de ofegação foi maior do que na manhã. Não houve efeito da sombra no escore de ofegação e na temperatura superficial. O período do dia e o grupo genético influenciam as respostas fisiológicas em vacas de leite a pasto em função da condição ambiental.

History

Licence

Exports

Logo branding

Licence

Exports