resumo_belly_nosing_correto_507161497975993.pdf (504.91 kB)
0/0

Comportamentos de belly nosing e biting de leitões criados em ambiente enriquecido na fase de creche

Download (504.91 kB)
journal contribution
posted on 07.08.2017 by Joselaine Bortolanza Padilha, Priscila Michelin Groff, Suelen Maria Einsfeld, Mariangela Prestes Vieira, Cláudio Bortoluzzi, Sabrina Endo Takahashi

Objetivou-se com esse trabalho avaliar o efeito do enriquecimento ambiental sobre os comportamentos de belly nosing e biting em leitões na fase de creche. O experimento foi conduzido em uma granja comercial e foram utilizados 300 leitões distribuídos em dois tratamentos: T1 – baia sem enriquecimento ambiental (controle) e T2 – baia enriquecida com bolas de borracha. Para observação dos comportamentos foram selecionados aleatoriamente, 10 leitões por baia e as avaliações ocorreram na segunda, terceira, quarta e quinta semana da fase de creche, por meio de imagens capturadas com auxílio de câmera de vídeo. As imagens armazenadas foram pausadas a cada 15 minutos para observação e anotação dos comportamentos de belly nosing e biting. Não se observou diferença significativa para o comportamento de belly nosing. Com relação ao biting, houve diferença significativa, com frequência superior no tratamento sem enriquecimento ambiental. O tratamento com enriquecimento ambiental reduziu este comportamento comumente apresentado pelos leitões na fase de creche. Isso pode ser atribuído ao fato de que nesse tratamento os animais gastaram o tempo interagindo com o objeto enriquecedor. Em contrapartida, no tratamento com ambiente estéril os leitões redirecionaram a atenção para os outros companheiros da baia, apresentando maior ocorrência de comportamentos nocivos, como morder a cauda ou a orelha de outros leitões. O enriquecimento ambiental teve ação positiva no comportamento dos animais e melhorou as condições de bem-estar na fase de creche.

History

Licence

Exports

Logo branding

Licence

Exports